Ecos da Natureza – O caminho do coração nos passos da cura

Ecos da natureza é uma jornada interior e exterior, é observar fora e enxergar dentro, é ver no outro aquilo que trazemos ou negamos em nos mesmos, é perceber o bem que as vezes nasce do mal e perceber o mal que as vezes nasce do bem, é ir alem das fronteiras da dualidade e si reencontrar com o natural, com a essência. O ser.

Quando permitimos essa essência vir à tona, percebemos que ela se comunica conosco através dos sentidos, do sentir e nos convida a adentramos em nosso mundo interior e a nos sentir. Descobrimos então, que ela nos fala através da voz do coração e nos conduz por este caminho, o caminho do coração.

Caminho este, ensinado por vários seres que passaram e passam por este belo planeta chamado Terra, nossa mãe, nossa nave, nossa morada. Seres iluminados pela própria luz do que vieram ensinar, o amor. Seres que simplesmente se permitiram ser, se permitiram seguir pelo caminho do coração, ouvindo os próprios corações e quando iniciamos esse caminhar, cada passo que damos, é um passo de cura. Uma ferida cicatrizada, uma fragilidade vencida, um vício superado.

 A cura é conseqüência do amor, assim como os passos são conseqüência do caminho.

Na verdade todos já estamos caminhando nos passos da cura, porem em níveis diferentes de consciência, pois alguns não ouvem com clareza o coração e isso faz com que tudo mais perda o sentido, parecendo que estamos separados da vida e dos seus acontecimentos, pois o elo que nos une é justamente o coração. Quando se ouve o coração se esta conectado a todos os corações, inclusive ao coração da Mãe Terra, do Pai Céu, o coração do Criamor (pois ninguém mais precisa criar dor, mas se ela for criada que nós a encaremos com amor).

Quando ouvimos nosso coração percebemos que é nele que encontramos a chave para todas as nossas perguntas e descobrimos a existência  de um universo de infinitas possibilidades, onde se encontra uma fonte pulsante de amor, de vida e de cura a qual acessamos  sempre que adentramos silenciosamente em nosso interior.

E quando damos expressão a esta voz passamos a ser um eco da natureza...

em construção....

0 comentários:

Postar um comentário