RODA DE CURA ECOS DA NATUREZA



A roda cura Ecos da Natureza, vem com o intento de trazer o aproximamento de cada participante consigo mesmo, pois só quando estamos realmente conosco, somos capazer de enxergar o mundo com nossos olhos e esse olhar está além dos olhos físicos, ele envolve o sentir, a consciência, a essência e para tudo isso se tornar possivel é preciso estar presente, só assim somos inteiros.

“Pra ser inteiro é preciso estar presente e quando eu me apresento eu sou inteiro, uma parte de um todo que quando todos somos, somos todos um!” (Ecosss)

Quando nos reunimos em circulo com o propósito de compartilhar saberes, estamos resgatando uma sabedoria que ultrapassa tempos e dimensões, estamos honrando uma sabedoria ancestral e podemos dar a este momento o nome de roda de cura.

 O intento da Roda de Cura Ecos da Natureza é compartilhar alguns saberes sobre os caminhos da cura, o que nos permiti identificar alguns simbolismos universais e pessoais do nosso próprio caminho, possibilitando o florecer de uma linguagem espiritual autêntica e particular, pois sendo cada um, um ser diferente, é natural que cada ser tenha sua forma de expressão, sua medicina. E quando damos voz a esta expressão, que nasce no coração e na consciêncianos, que nada mais é do que a nossa essência, nos tornamos um eco da natureza!

O circulo é uma configuração que possibilita que a energia flua naturalmente entre todos, pois dentro do circulo somos todos iguais, ele representa os ciclos da vida, a totalidade.

Podemos encontrar referencias ao circulo em divérsas culturas do mundo todo, na Índia ele é chamado de Mandala e serve para nos conectar com outros estados de consciência nos conduzindo ao eu interior.

“Segundo Jung, a mandala se encontra na própria alma humana, aparecendo nos sonhos e em diversas imagens criadas pelo nosso inconsciente.”

Os nativos americanos reconhecem o círculo como o principal símbolo para o entendimento dos mistérios da vida. Obervaram que ele estava impresso em toda a natureza. O homem olha o mundo através dos olhos, que é um círculo. A Terra, a Lua, o Sol, os planetas; são todos circulares.
A vida inteira, para o nativo, discorre de maneira circular. O nascer e o por do Sol, acompanham um movimento circular. As estações formam um círculo. Os pássaros constroem ninhos em círculos, animais marcam seus territórios em círculos. As típis (cabanas) são circulares, as tipis das comunidades eram dispostas de maneira circular e por isso também seus tambores rituais tem o formato circular.
Quando um xamã constroi uma Roda Medicinal, ele reconstroi a representação simbólica do Universo e da mente Universal.
Para o nativo, medicina significa poder, energia vital que está em todas as formas da natureza. Eles tem um conceito de um vortex ( espiral de energia) em movimento, o mesmo conceito dos chacras dentro das tradições da India.
A Roda Medicinal dos nativos é um mapa da vida que nos orienta a caminhar de forma mais consciente, nos ensinando a sabedoria escondida por traz de cada situação e momento que lidamos no dia a dia, nos permitindo compreender a melhor forma de nos posicionarmos diante destas situações e assumindo a responsabilidade por nossas escolhas.

“Formas de Roda Medicinal existem por todo o Globo desde o Grande Círculo de Pedras da Europa até as Mandalas na Índia. Todas elas são remanescentes do passado quando o mundo era guiado pela lei de relacionamentos corretos, respeito humano a todos os seres, a Todas As Nossas Relações - minerais, plantas, animais, espíritos em cima da Mãe Terra. Estudar a Roda Medicinal ajuda você a lembrar sua conexão com todos os aspectos do Universo. Cada pedra na Roda Medicinal é uma ferramenta para ajudar a você a entender traços de seu passado que molda o presente e o futuro planetário. Cada posição na Roda Medicinal afetará diretamente a você e algum ponto de sua vida.” ( Sun Bear )

Quando criamos uma Roda Medicinal podemos fazê-la por diversas razões, porem todas estão diretamente ligadas a uma raiz principal, a cura. E todo caminho que trilhamos é um caminho que nos conduz à cura, mesmo que por muitas vezes caminhemos de forma desorientada e até mesmo gerando dor e sofrimento pra nós mesmos e para outros, pois se assim agimos é porque ainda não amadurecemos o suficiente pra perceber que somos responsaveis por nossas escolhas e principalmente por colher todo fruto que semeamos, sejam eles agradáveis ou não e é apenas caminhando e titubeando entre o certo e o errado que aprendemos, afinal de contas quem aprende a andar sem nunca cair? Cair faz parte do aprendizado, é um processo e todos estes processos pelos quais passamos fazem parte do processo de cura, aqui cabe um pequeno conto para podermos assimilar melhor esta informação.

“Estava um rapaz  a horas tentando quebrar uma pedra, quando um amigo se aproximou e lhe ofereceu ajuda, o rapaz entregou a marreta na mão dele e disse – Pode tentar, mas eu já dei umas mil marretadas e nem se quer uma lasca consegui tirar – então o amigo pegou a marreta e pra surpresa de ambos, no primeiro golpe a pedra se partiu no meio”

Será que foi apenas esse golpe responsavel por partir a pedra ou ele foi apenas o golpe decisivo dentro de um processo que já vinha sendo preparado à mil marretadas e na milésima primeira a pedra se partiu?

“A cura é um processo, não um evento” (Jamie Sams)

Para concluir nossa apresentação da roda de cura, deixo aqui um texto de Sun Bear para uma breve reflexão sobre o tema, Cura:


Parte de um texto de Sun Bear, médico-chefe da Bear Tribe Medicine Society - Washington, escreveu junto com Wabun o livro "Medicine Wheel - A Roda Medicinal :




"Proponho a discutir aqui dois dos principais fatores envolvidos na cura : a superação de entraves negativos e o desenvolvimento de atitudes positivas, de afirmação da vida. De um ponto de vista espiritual, os bloqueios mais comuns são as atitudes e emoções negativas carregadas incessantemente por muitos. Para que se instaure uma cura, é preciso que esses bloqueios sejam vencidos. Ao trabalhar com pessoas portadoras de câncer e outras enfermidades graves, percebo que a menos que elas consigam aprender a abdicar de sua negatividade, a doença acaba voltando.
Para ser totalmente curada, a pessoa deve se livrar do ódio, da inveja, do ciúme e das outras atitudes e sentimentos nocivos. embora tenham origem na mente esses fatores não tardam a manifestar-se no corpo, transformando-se num ombro enrijecido, num fígado preguiçoso, num câncer ou outras enfermidades. Acredito que toda a cura genuína está voltada para o problema do desbloqueio de negatividades, de uma maneira ou de outra.
Um dos métodos adotados por mim com êxito é fazer que as pessoas saiam ao ar livre, encontrem um lugar no solo e cavem um buraco. Em seguida, elas enumeram, diriggindo a voz para dentro do buraco, tudo o que as incomoda na sua vida. Tudo é despejado dentro do buraco. assim, elas depositam sua negatividade na terra.
Uma vez eliminadas as atitudes e emoções negativas, cumpre substituí-las por qualidades positivas. Se um agente de cura é capaz de criar em alguém um sentimento de bem estar, de que "a vida é boa para mim apesar de tudo", esse alguém pode estar no caminho da recuperação.
Obviamente, é muito importante que o paciente queira ficar bem. Um forte anseio de curar-se constitui um fator crucial no processo de cura. Um dos melhores motivos para querer melhorar é o desejo de prosseguir usufruindo a vida.. assim, conseguindo que as pessoas se sintam no direito de ser felizes, sintam que mereçam ser felizes e que já estão, na verdade, usufruindo de uma vida venturosa, tem-se uma das mais poderosas motivações para a cura.
Isso explica o fato, por mim observado ao longo dos anos, de que as pessoas felizes adoeçem menos que as tristres. Na verdade, as pessoas que se tornam deprimidas e desencorajadas pelos problemas da vida já estão meio doentes em termos de atitude. quando o agente de cura é capaz de libertar pessoas desses padrões de pensamento e consegue que elas passem a usufruir da vida, um grande passo já foi dado em direção à saude.
Isso significa que o agente de cura deve, em certo sentido, ser um modelo para aqueles que ele está tentando ajudar. Um agente de cura tristonho, negativo ou desesperançado é, ao meu ver, uma contradição em termos. O desenvolvimento de atitudes positivas no paciente pode também ser facilitado pela atmosfera de um grupo que dê apoio. Uma pessoa que sofre pode ser encorajada e fortecida pela consciência de que outras pessoas, com sérios problemas pessoais, ainda conseguem se interessar o suficiente pelos outros para prestar-lhes apoio. Isso é particularmente benéfico no caso de problemas mentais ou emocionais.
É também importante que as pessoas que almejam a cura acreditem que a pessoa que trata delas tem o poder de curá-las. Quando o paciente acredita nisso, o agente de cura já tem meio caminho andado. Algumas pessoas da sociedade ocidental, podem ter dificuldades em confiar num curandeiro espiritualista que ora sobre elas e realiza uma cerimônia usando uma pena de águia. Esse condicionamento pode ser tão marcante que as impeça de acreditar na possibilidade de serem curadas por qualquer meio diferente.
Percebo também em meu próprio trabalho que frequentemente é mais eficaz abordar a pessoa com a mão sobre o ombro do que com o desafiante estilo "curto e grosso" defendido por algumas vertentes terapêuticas. Quando alguém vem a mim em busca de cura, procuro não fazê-lo também sentir-se culpado pela doença. Um dos elementos compartilhados por todos os autênticos agentes de cura é a consciência de que a função de um terapêuta é simplesmente prestar ajuda aos que o procuram para serem curados, sem julgar, condenar ou sentenciar. O papel do terapeuta é, no mínimo, o de oferecer ao paciente um pouco de energia e apoio.
Penso que os terapeutas devem no futuro tornar-se bem mais conscientes da necessidade de ajudar as pessoas a transformar seus estilos de vida e seus hábitos de tal maneira que nem cheguem a adoecer. Não sou uma pessoa exageradamente impressionada pelos "milagres" tecnologicos, como os corações artificiais. Se os cientistas conseguirem divisar formas de evitar que as pessoas sofram enfartes, isto sim representará uma conquista. E o primeiro passo será indicar às pessoas como transcender seus condicionamentos negativos, como se tornar felizes e como desenvolver um sentido de satisfação com a vida"

Mitakuye Oyas'in Sun Bear !


(Parte do material acima foi retirado e adaptado do site www.xamanismo.com.br do Léo Artése)

0 comentários:

Postar um comentário