ARTE VISIONÁRIA

   Existem muitos conceitos e definições para os diversos estilos de arte existentes, desde os tempos mais remotos e a alguns anos o termo arte visionária vem ganhando espaço no meio artístico.

   Mas o que é arte visionária?

   Vamos entender a etimologia da palavra, arte compreendemos que é toda forma de expressão que utilizamos de forma subjetiva para diversos fins e visionária vem de visão, de ver, o visionário é aquele que vê alem, que busca respostas e conhecimentos alem dos que a maioria das outras pessoas buscam.
 
   Poderiamos dizer que os primeiros artistas visionários foram os primeiros homens das cavernas e os diversos xamãs das mais variadas culturas, que se utilizavam da arte não como estética, mas sim como forma de passar uma mensagem aos outros de sua comunidade, uma forma de trazer a presença dos espíritos guardiões, de espantar os maus espíritos e de despertar naquele que observa tal expressão artística, sentidos adormecidos e outras formas de conhecimento que não pelo racional, mas sim através do intento, da vibração e energia que envolve aquela arte.

O artista visionário mergulha em seu interior ou empreende uma viagem ao mundo espiritual e outras dimensões paralelas em busca de respostas, em busca de orientação para guiar o seu  caminho e de uma maior compreensão dos mistérios da vida, em busca da cura de alguma determinada doença, em busca de auto conhecimento, para entrar em contato com os espíritos da natureza, entre tantos outros motivos e quando retorna a nossa realidade comum, transfere essa informação em alguma forma de expressão artística para compartilhar com os demais, esse seria o papel dos xamãs dentro das tribos.


   Mas o fato do artista visionário empreender estas jornadas não faz dele um xamã, pois se ele não tem uma compreensão mínima a respeito de si próprio (autoconhecimento), ele pode fazer essas jornadas e ao invés de trazer um conteúdo que possa contribuir para com os demais com clareza, ele acaba por compartilhar seus fantasmas e sua própria perturbação mental e confusão, o que pode por vezes trazer mais confusão do que clareza pra quem as observa.


   A arte visionária hoje em dia, esta intimamente ligada a experiências psicodélicas seja por meio de drogas sintéticas na qual talvez a mais conhecida seja o LSD ou através das plantas de poder, também conhecida como plantas mestras, no Brasil a mais conhecida é a ayahuasca, utilizada em rituais entre os nativos da região Amazônica e difundido por religiões como o Santo Daime, União do Vegetal (UDV), Barquinha entre outras, assim como os nativos de outras regiões do globo possuem suas plantas específicas de acordo com o clima e necessidades de cada região e cultura.


   Uma diferença muito grande ao meu ver entre a droga sintética e as plantas de poderes é que, enquanto uma foi sintetizada pelo homem a outra vem pronta pela mão da própria Mãe Natureza, bastando ao homem apenas aprender seu preparo e uma forma segura e mais adequada de utilizá-la (ritualisticamente), mas em outra oportunidade falaremos mais nesse assunto, evidenciando alguns detalhes importantes sobre esta questão.


   Fato é que, para ser artista visionário a pessoa não precisa se utilizar de plantas de poderes ou de drogas, ela pode acessar esse mesmo universo através da meditação, da oração, de sonhos, de projeções astrais, de estados alterados consciência através dá música, da dança, de cheiros entre tantos outros meios.


   A qualidade da obra não está apenas na sua estética, mas sim no conteúdo expresso, que vai alem do resultado final da obra, pois ele começa na sensibilidade e intento do artista, no alcance de sua consciência  e na qualidade da vibração no momento em que a obra foi feita ou expressa.


   Podemos perceber que a arte visionária não é nada nova, a não ser o seu conceito, pois como vimos ela talvez tenha sido uma das primeiras expressões artísticas do ser humano.


Rodrigo Ecosss

0 comentários:

Postar um comentário